Clínica de Tratamento – Drogas e Alcoolismo

(11) 4714-1079

Plantão 24h:(11) 7797-7969 - (11) 94377-7969

(Para telefone fixo na Capital e Grande São Paulo, também é necessário usar operadora e código de área)

O QUE É DROGA

 

O que é Droga

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), droga é qualquer substância não produzida pelo organismo, que tem a propriedade de atuar sobre um ou mais de seus sistemas, produzindo alterações em seu funcionamento.

A lista de substâncias na Classificação Internacional de Doenças, 10ª revisão (CID-10), em seu capítulo V (Transtornos mentais e comportamentais), inclui as seguintes substâncias:

Álcool;

Opioides (morfina, heroína, codeína e diversas substâncias sintéticas);

Canabinoides (maconha);

Sedativos ou hipnóticos (barbitúricos, benzoadizepínicos);

Cocaína;

Outros estimulantes (anfetaminas e substâncias relacionadas à cafeína);

Alucinógenos;

Tabaco;

Solventes voláteis.

Existe uma classificação que se baseia nas ações aparentes das drogas sobre o Sistema Nervoso Central (SNC), conforme as modificações observáveis na atividade mental ou no comportamento, sendo elas:

Drogas Depressoras da Atividade Mental

Causa diminuição da atividade global ou de certos sistemas específicos do SNC, tendo como consequência a diminuição da atividade motora, da reatividade à dor e da ansiedade. É comum um efeito euforizante no início e, posteriormente, um aumento da sonolência.

São consideradas substâncias depressoras do SNC:  álcool, barbitúricos, benzoadizepínicos, opioides e solventes ou inalantes.

Os efeitos do uso de drogas depressoras da atividade mental incluem: Desibinição do comportamento, diminuição crítica, descoordenação  motora, prejuízo das funções sensoriais, fala pastosa, dificuldade de marcha, reflexos lentos, aumento de sonolência, diminuição da capacidade de raciocínio e coordenação, sensação de calma, relaxamento, diminuição da ansiedade, relaxamento muscular, contração pupilar importante, efeito sedativo, torpor, diminuição da motilidade gastrointestinal, coma e morte por parada respiratória.

Drogas Estimulantes da Atividade Mental

Causa aumento da atividade de determinados sistemas neuronais, o que traz como consequência um estado de alerta exagerado, insônia e aceleração de processos psíquicos.
São consideradas substâncias estimulantes do SNC:  anfetaminas e cocaína (incluindo seus derivados – crack e óxi).

Os efeitos do uso de drogas estimulantes da atividade mental incluem: Diminuição do sono e do apetite, sensação de maior energia e menor fadiga, rapidez na fala, dilatação da pupila, taquicardia, sensação de euforia e poder, estado de excitação, hiperatividade, insônia, falta de apetite, irritabilidade, agressividade, estado psicótico (com delírios e alucinações), aumento da temperatura, convulsões, elevação da pressão arterial que pode levar à parada cardíaca e morte por superdosagem.

Drogas Perturbadoras da Atividade Mental

Causa alteração do funcionamento cerebral, que resultam em vários fenômenos psíquicos anormais, entre os quais destacam-se os delírios (falso juízo da realidade) e alucinações (percepção sem objeto, ou seja a pessoa ouve e/ou sente o que não existe). Por esses motivos, são denominadas drogas aluncinógenas.

São consideradas drogas perturbadoras do SNC: maconha, alucinógenos (LSD e Ecstasy), anticolinérgicos (plantas como a saia branca, trombeta ou zabumba, certos medicamentos como tri- hexafenidil, diciclomina e biperideno).

Os efeitos do uso de drogas perturbadoras da atividade mental incluem: sensação de bem-estar, calma, relaxamento, hilariedade, angústia, ansiedade, medo de perder o autocontrole, tremores, sudorese, perturbação da capacidade de calcular o tempo e o espaço, prejuízo da memória e a atenção, síndrome amotivacional, hiperemia conjutival (olhos avermelhados), diminuição da produção de saliva, taquicardia, problemas respiratório, diminuição da produção de testosterona nos homens, podendo haver infertilidade, distorções perceptivas, fusão de sentidos, alucinações, depressão, quadros psicóticos, aceleração do pulso, diminuição da motilidade intestinal (até paralisia), dificuldades para urinar.

Outras Drogas

Existem ainda outras drogas que não podem ser classificadas, pois seus efeitos psicoativos não se enquadram em apenas uma categoria. São elas:

Tabaco: Os efeitos de seu uso incluem doenças cardiovasculares, doenças respiratórias e câncer;

Cafeína: Possui efeito estimulante, porém menos potente que a cocaína e as anfetaminas. O seu potencial de induzir dependência vem sendo bastante discutido nos últimos anos. Os efeitos de uso incluem ansiedade, alterações psicomotoras, distúrbios do sono e alteração do humor;

Esteroides anabolizantes: Droga lícita, que substitui o hormônio masculino Testosterona. Alguns usuários descrevem efeito euforizante, no entanto, o principal motivo de consumo é para o desenvolvimento de massa muscular. Essa busca leva a padrões de consumo dependente. Os efeitos do seu uso incluem diversas doenças cardiovasculares, alterações no fígado, inclusive câncer, alterações músculo-esqueléticas indesejáveis (ruptura de tendões, interrupção precoce do crescimento).

Do ponto de vista legal, as drogas podem ser:

Lícitas: Sua comercialização é legal, podendo ou não estar submetidas a algum tipo de restrição. Como, por exemplo, álcool (cuja venda é proibida para menores de 18 anos) e alguns medicamentos (que só podem ser vendidos com prescrição médica);

Ilícitas: Sua comercialização é proibida por lei. Como, por exemplo, cocaína, crack, maconha.